terça-feira, 27 de novembro de 2012

Paços travado por uma trave e um arbitro!


Noite fria na Mata Real, onde se sofreu a bom sofrer como sempre o Paços foi fiel ao sue lema «Por Paços esforço e» bem quase vitoria, mas já lá iremos, e temos video.

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Gil Vicente vs FC Paços de Ferreira [Conferencia de Impressa + Atletas Convocados]


A 9ª jornada da I Liga leva os Castores até Barcelos. As boas prestações na Liga sustentam o optimismo de Paulo Fonseca para este jogo com o Gil Vicente.
Após o treino matinal, o treinador pacense foi à Sala de Imprensa responder às questões dos jornalistas, em antevisto a esta partida;

O Paços não perde fora há seis meses. É para manter essa prestação... 
"Não tinha conhecimento desse facto, mas é um percurso na Liga que nos satisfaz. A equipa tem vindo a melhorar do ponto de vista defensivo e daí o reduzido número de golos que temos sofrido. Estamos satisfeitos com esse rendimento, mas a nossa missão será, não só a de não sofrer golos, mas também marcar para vencer o jogo de Barcelos".

Como avalia a equipa do Gil Vicente...
Para além de ter um treinador bastante competente e do qual admiro o seu trabalho, é uma equipa com ideias bem cimentadas. Neste campeonato, o Gil apenas perdeu com o Benfica, Sporting e Braga e empatou com o Porto e mesmo nas derrotas teve uma atitude que é de valorizar.
É uma equipa bastante forte, que tem vindo a realizar um campeonato bastante promissor, por isso, estamos preparados para um jogo difícil, mas também é verdade que só temos um único objetivo para esta partida, que é tentar vencer".

Então o que poderá fazer a diferença nesta partida... 
Vamos ter que jogar de forma determinada e agressiva, como o fizemos no último jogo com o Olhanense. Do ponto de vista ofensivo temos que encarar o jogo com atrevimento, sempre com a arma da posse de bola. Em termos defensivos, teremos que jogar concentradíssimos e não poderemos cometer qualquer tipo de erro contra o Gil Vicente".

O treinador do FC Paços de Ferreira chamou 19 atletas para o confronto da 9ª jornada da Liga. Paulo Fonseca leva a Barcelos os mesmos 18 do jogo com o Olhanense, aos quais se junta o defesa Javier Cohene, que regressa após ter cumprido um jogo de castigo.
Jaime Poulson e Diogo Figueiras são os atletas que ficam de fora, por lesão.

Atletas Convocados:

Guarda-redes
Cássio
António Filipe

Defesas
Tiago Valente
Ricardo
Javier Cohene
Antunes
Tony
Nuno Santos

Médios
Vítor
André Leão
Filipe Anunciação
Luiz Carlos
Josué

Avançados
Cícero
Caetano
Arturo Alvarez
Hurtado
Vinicio Angulo
Manuel José

A partida Gil Vicente FC - FC Paços de Ferreira está marcada para as 20h15 de sexta-feira, no Estádio Cidade de Barcelos, com arbitragem de Marco Ferreira (Madeira) o encontro tem transmissão na SportTV.

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

[Breves] Gil Vicente vs FC Paços de Ferreira


O defesa Ricardo já integrou o trabalho com o restante grupo, após dois dias limitado por um traumatismo no pé, sofrido no jogo com o Olhanense. A equipa trabalhou no relvado secundário da Mata Real, com Paulo Fonseca a preparar o jogo de Barcelos (sexta-feira - 20h15) da 9ª Jornada da I Liga com transmissão na Sport TV.
Jaime Poulson ficou ontem a saber que a lesão no joelho esquerdo o vai manter afastado do relvado entre 4 a 6 semanas, juntando-se assim a Diogo Figueiras no lote de lesionados, embora este esteja já em fase final de recuperação.
O bom momento da equipa ficou expresso no final do treino, com a animação do grupo a imperar no tradicional jogo da «peteleca"...
Amanhã pelas 10 Horas há novo apronto, seguindo-se pelas 12h Horas a Conferência de Imprensa do treinador Paulo Fonseca.


Também já é conhecido que Marco Ferreira, da Madeira, foi nomeado para arbitrar na sexta-feira o Gil Vicente-P. Ferreira, jogo de abertura da nona jornada da Liga.

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Sorteio Taça da Liga


Realizou-se esta manhã o sorteio da 3ª Fase da Taça da Liga. Os Castores terão como adversários nesta fase: o Rio Ave FC, o CS Marítimo e o Sporting CP.

Aqui fica o calendário completo:

Grupo A

1.ª jornada (19/12)
Nacional - FC Porto
Estoril - V. Setúbal

2.º jornada (30/12 e 2/1)
Estoril - FC Porto
V. Setúbal - Nacional

3.º jornada (9/1)
FC Porto - V. Setúbal
Nacional - Estoril

Grupo B

1.ª jornada (19/12)
V. Guimarães - SC Braga
Naval - Beira Mar

2.º jornada (30/12 e 2/1)
Naval - SC Braga
Beira-Mar - V. Guimarães

3.º jornada (9/1)
SC Braga - Beira-Mar
V. Guimarães - Naval

Grupo C

1.ª jornada (19/12)
Marítimo - Sporting
Rio Ave - P. Ferreira

2.º jornada (30/12 e 2/1)
Rio Ave - Sporting
P. Ferreira - Marítimo

3.º jornada (9/1)
Sporting - P. Ferreira
Marítimo - Rio Ave

Grupo D

1.ª jornada (19/12)
Olhanense - Benfica
Moreirense - Académica

2.º jornada (30/12 e 2/1)
Moreirense - Benfica
Académica - Olhanense

3.º jornada (9/1)
Benfica - Académica
Olhanense - Moreirense

Meias-finais (27 Fevereiro):

Vencedor do Grupo B - Vencedor do Grupo D
Vencedor do Grupo A - Vencedor do Grupo C

Final:

14 de abril, em Coimbra

Direcção de costas voltadas com os Yellow Boys


Tristeza!
Foi o sentimento que me ocorreu quando chegado ao estádio da Mata Real, fui abordado por um agente da lei, que me pediu para verificar o meu cachecol, ao inicio, tudo me pareceu uma medida de rotina quando num sorriso ele me dirige a palavra, dizendo que EU podia entrar, porque não tinha um cachecol dos Yellow Boys, fiquei atónito, com semelhante declaração, e mais a frente questionei o segurança sobre o que se passava, respondendo o mesmo que «Nem eu sei o que se passa, só sei que não estão a deixar entrar qualquer coisa que tenha escrito Yellow Boys».
 Qual o meu espanto, quando soube que barraram a entrada a sócios do Paços de Ferreira, que eram também membros da claque, onde estamos nós? Chegamos ao ponto de proibir as poucas pessoas que apoiam o clube incondicionalmente de entrar no nosso estádio? É assim que o Futebol Clube Paços de Ferreira agradece o apoio, que os Yellow Boys, lhe deram desde o seu retorno a actividade, eles estão presentes em qualquer lado, e é agora desta forma que se lhes diz obrigado?
 É que antes de mais, não proibiram apenas membros da claque de entrar no Estádio, eles são acima de tudo sócios pagantes tal como os outros, é desta forma que esta direcção quer angariar mais sócios pagantes?
Deixem quem apoia em paz, deixem quem paga as suas cotas ir a bola! E não roubem tijolos(?) que isso fica mal, a uma instituição com o FC Paços de Ferreira.
Ajudem quem ajuda o clube e deixa a porcaria dos convites duma vez, os sócios, não merecem ter tratamento igual a essa gente dos convites?

Espero que os Yellow Boys, voltem ao Estádio, fazem falta, porque são dos poucos que apoiam a equipa!
Força Yellow Boys!

FC Paços de Ferreira 0 - 0 SC Olhanense


Não se iludam com o marcador estéril. O nulo apenas maquilha um jogo fértil, competitivo, disputado nos limites por duas equipas sólidas e certas do caminho a seguir. Neste caso, talvez como rara excreção o golo seria um mero detalhe num jogo extremamente interessante. 

Pela insistência admirável na segunda parte, o Paços de Ferreira terá mais razões de queixa com o resultado final. Na etapa complementar, os castores foram mais verticais, vigorosos, insistiram no passe longo e no sufoco aos centrais algarvios. 

Estiveram perto, muito perto do golo a 20 minutos do final, quando Vítor surgiu na área a disparar a centímetros do poste direito de Bracali.



Até ao intervalo, a equipa de Sérgio Conceição teve controlo quase absoluto sobre a partida. Anulou as principais peças da engrenagem ofensiva pacense, nomeadamente o ponta-de-lança Cícero e os extremos Manuel José e Hurtado, e chegou a colocar Cássio em sérios apuros. 

Tiago Targino falhou um golo certo logo a abrir, Antunes anulou mais tarde os intentos de Djaniny e foi com alguma surpresa que o Paços de Ferreira, normalmente imponente na Mata Real, chegou ao intervalo a braços com uma crise de confiança.



Os indicadores de supremacia mudaram de lado no tempo de descanso, como acima escrevemos. André Leão passou a recuar bastante, a ser o iniciador das transições ofensivas e isso fez toda a diferença.


A qualidade da circulação de bola do Paços aumentou radicalmente, pois deixou de passar diretamente dos defesas centrais para o trio da frente. Leão, bem acompanhado por Vítor, confundiu a organização algarvia, alimentou o ataque e deu sentido à afirmação arrojada do seu treinador: é o melhor médio português a jogar na posição seis? É uma discussão curiosa.

Que fique bem claro, porém, que o Olhanense nunca foi uma vítima entregue ao abuso do captor. Nada disso. Os algarvios quiseram jogar num bloco mais baixo e preferiram aproveitar a velocidade de Abdi e Ivanildo no contra-ataque. 

Já no período de descontos, viram Vasco Fernandes falhar por muito pouco o golo, num lance de bola parada. Esse golo seria uma traição à lógica do jogo e à reacção fortíssima do Paços de Ferreira nos segundos 45 minutos. 

As duas equipas nivelaram-se e estiveram bem acima da terceira interveniente. O trio liderado por Hugo Miguel foi picuinhas e falhou demasiadas vezes, num jogo que até nem foi difícil de dirigir. 

Declarações do Treinador Paulo Fonseca 
«Merecíamos ter vencido. Estou satisfeito com os meus atletas. Tivemos oportunidades para vencer, perante um adversário difícil e que nos deu muita luta. Fomos melhores e tivemos as melhores oportunidades durante todo o jogo».

[Sobre a melhoria na segunda parte...]

«A segunda parte foi claramente melhor, é verdade. Não é fácil ter um adversário que joga com bloco baixo. Na primeira parte tivemos algumas dificuldades para chegar às zonas de finalização, mas na segunda parte tivemos três lances para marcar. Na segunda parte o Olhanense não nos criou quaisquer problemas na defesa».

Melhor em Campo
André Leão
Elogiado publicamente por Paulo Fonseca, o médio fez por merecer o louvor. Classe não lhe falta, qualidade também não. Sempre de cabeça levantada, sempre a procurar os caminhos certos, sempre interessado em acionar os mecanismos da equipa. Bom no passe curto, acertado no longo, forte no combate da zona intermediária. Afirmá-lo como o melhor português na posição 6 é arriscado. Talvez seja mais sensato sublinhar que é um médio de enorme qualidade, claramente apto a servir a Seleção Nacional. No imediato.

Melhor Momento


Vítor a centímetros do golo (minuto 71)
Foi a melhor oportunidade em toda a partida. O médio do Paços de Ferreira surgiu na área algarvia, rematou para golo e a bola passou a centímetros do poste direito. Depois disso percebeu-se que muito dificilmente o nulo seria desfeito. Melhores do Paços


Antunes 
As características que o conduziram à AS Roma permanecem intocáveis. Pontapé fortíssimo, forte no apoio ao extremo, sempre raçudo. Jogo muito interessante, mais visível pela participação sempre perigoso nos lances de bola parada. Talvez valha a pena voltar a olhar para Antunes como uma boa opção para o lado esquerdo da selecção  tão depauperado nos últimos jogos.

Vítor
Primeira parte desinspirada, segunda parte tremendamente influente. Dos seus pés saíram passes de rotura, cruzamentos e o remate mais perigoso de todo o jogo. Pelo que fez na etapa complementar, rivaliza directamente com André Leão na luta pela nomeação como «Figura do Jogo».

Resumo em vídeo 

sábado, 3 de novembro de 2012

André Leão: há espaço na seleção para um «castor»?


André Leão saltou para a atualidade desportiva deste sábado depois de Paulo Fonseca, o seu treinador no Paços de Ferreira, ter dito que é «o melhor português a jogar na posição 6». Aos 27 anos, o médio vai construindo uma carreira sólida mas, quase sempre, longe de voos altos que Fonseca agora reivindica. Poderá André Leão ser uma opção, por exemplo, para a seleção nacional?

Maisfutebol falou com Luís Miguel, que o treinou em Paços de Ferreira na temporada passada. O actual treinador do Santa Clara sabe que André Leão não é o melhor trinco da Liga, mas admite que, quando a peneira aponta apenas aos portugueses, não vê muito melhor. 

«Tem muita qualidade e um carácter enorme. Em jogo destaca-se pela boa leitura dos lances e pela presença. Está constantemente a ler o jogo e atento ao companheiro que joga com ele naquele esquema de duplo pivot. É bom no passe curto, no passe longo e no jogo área. É bastante completo. Por isso a afirmação faz algum sentido. Não há muitos portugueses assim», afirma Luís Miguel. 

O retrato está traçado. André Leão, um jogador que por vezes perde «por não falar mais» está a atingir a idade limite para saltar para um patamar superior. «Muitas vezes fazem-se os contratos de uma vida aos 30, mas julgo que ele está na idade certa. Está no ponto», diz Luís Miguel. 

Do alto do seu 1,85 m, André Leão parece uma espécie em vias de extinção quando se analisa o futebolista português. Basta ver, aliás, o meio campo da selecção nacional, onde João Moutinho, Raul Meireles, Miguel Veloso, Ruben Micael ou o próprio Manuel Fernandes não são conhecidos por ser altos. 



Haverá espaço para um médio do Paços de Ferreira? «Quando se está num dos grandes e mesmo no Sp. Braga é mais fácil, logicamente. Mas o seleccionador vê os jogos dos clubes pequenos e não terá problema em chamar o André, se precisar», diz Luís Miguel. Paulo Fonseca frisou na sua intervenção que não queria «pressionar» Paulo Bento, mas destacou «que não vê ninguém no futebol português com as qualidades de André Leão». 

Luís Miguel é mais cauteloso. «Não se pode dizer, pelo contrário, que a selecção não tem qualidade naquele posto. Há Moutinho, Meireles, Veloso, Manuel Fernandes...O André talvez precise provar o seu valor num clube que lute por um título ou até pela Europa», explicou. 

Se lá chegar, Luís Miguel não tem dúvidas: vai agarrar a oportunidade. «Ele merece e vai trabalhar e lutar para jogar. É o tipo de jogador que todo o treinador gosta, porque nunca o deixa ficar mal», descreveu. 

Formado no Freamunde, André Leão é descrito por Luís Miguel como um homem «educado e ponderado». «Cuida-se bem, é um jogador regrado e ainda tem muito para dar ao futebol. É preciso que que apostem no jogador português», destaca. 



Quando o Leão teve de ser Dragão

Uma das passagens mais curiosas da carreira de André Leão aconteceu quando o médio passou pela equipa B do F.C. Porto, em 2005. Ora, ter um «Leão» na equipa não agradou no seio do conjunto azul e branco. E André...mudou de nome. Passou a ser André Dragão. 

«Foi uma alcunha que me puseram no clube, que respeitei e levei sempre na desportiva. É uma situação que também revela a forma como se trabalha no F.C. Porto. É uma equipa com raça, o carácter  a vontade de querer ganhar e, principalmente, organização», explicou, em tempos, o jogador.

André Leão teve direito ao seu nome quando foi emprestado ao Beira-Mar, no ano seguinte, antes da única aventura no estrangeiro do curriculum. Passou três anos no Cluj, da Roménia, onde viveu as emoções da Liga dos Campeões. Voltou a Portugal em 2010 e assentou arraiais em Paços de Ferreira. Palco pequeno de mais para o seu talento?


(in Mais Futebol)

FC Paços de Ferreira vs Olhanense [Abordagem ao Jogo + Convocados]




Paulo Fonseca considera que o Olhanense «é um dos adversários mais difíceis de defrontar em casa», pois «não é qualquer equipa que marca quatro em Braga».
O treinador do Paços de Ferreira lembrou ainda que o adversário deste domingo só perdeu um jogo fora de casa (em Setúbal), e na sequência de um penalty. Em todo o caso espera dar continuidade ao bom início de época: «Estamos satisfeitos com o que se tem feito, mas podemos fazer ainda melhor. Queremos manter sempre a vontade vencer, sendo uma equipa eternamente insatisfeita, até alcançarmos o nosso objectivo Temos que ter a consciência de que ainda há um longo caminho pela frente e muito para evoluir. O que nos irá valorizar são os resultados e queremos no final do campeonato alcançar algo condizente com o valor da equipa e dos jogadores.»
Paulo Fonseca deixou ainda um rasgado elogio a André Leão, que considera ser « actualmente o melhor jogador português da posição 6». O técnico do Paços de Ferreira frisou que não quer pressionar o seleccionador nacional, mas diz que não encontra, no futebol português, «ninguém com as qualidades do André Leão».

Eis alguns dos principais momentos da Conferência de Imprensa desta manhã:

A equipa está apostada em manter a boa tradição dos jogos com o Olhanense... "Ligamos pouco à boa tradição, tal como à menos boa de Aveiro na semana passada que acabamos por quebrar. Estamos num bom momento, queremos vencer, mas temos a noção de que este é um dos adversários mais difíceis de defrontar em «casa». O Olhanense fora só perdeu em Setúbal e de penalti e tem demonstrado ser uma equipa solidária, sólida a sair para o contra-ataque e os golos que tem alcançado no terreno dos adversários demonstra bem o valor da equipa.
Estamos confiantes, mas também conscientes de que será um jogo muito difícil".

Será então um Olhanense de expectativa... "Tem sido essa a postura do Olhanense fora. A equipa sente algumas dificuldades em «casa», e fora sente-se mais confiante. Parece-me que será essa a forma como se apresentará aqui".

Em dez jogos oficiais o Paços só perdeu um... "Estamos satisfeitos com o que se tem feito, mas podemos fazer ainda melhor. Queremos manter sempre a vontade vencer, sendo uma equipa eternamente insatisfeita, até alcançarmos o nosso objetivo. Temos que ter a consciência de que ainda há um longo caminho pela frente e muito para evoluir. O que nos irá valorizar são os resultados e queremos no final do campeonato alcançar algo condizente com o valor da equipa e dos jogadores".

André Leão está em grande fase. É um jogador de seleção?... "O André Leão tem sido peça fundamental na estrutura desta equipa. Não querendo de forma alguma pressionar o selecionador nacional pois entendo a dificuldade do seu papel, posso afirmar que o André Leão é atualmente o melhor jogador português da posição «6». Não encontro, neste momento, no futebol nacional um «6» com as qualidades do André Leão

O treinador do FC Paços de Ferreira convocou 18 atletas para o confronto com o Olhanense, da 8ª jornada da Liga. A lista engloba algumas alterações em relação ao jogo da Taça da Liga com o D. Aves, com os regressos de Cícero, Luiz Carlos e Ricardo.
Jaime Poulson e Diogo Figueiras, lesionados, e Javier Cohene, castigado, são baixas para este encontro.

Atletas Convocados:

Guarda-redes
Cássio
António Filipe

Defesas
Tiago Valente
Ricardo
Antunes
Tony
Nuno Santos

Médios
Vítor
André Leão
Filipe Anunciação
Luiz Carlos
Josué

Avançados
Cícero
Caetano
Arturo Alvarez
Hurtado
Vinicio Angulo
Manuel José

A partida FC Paços de Ferreira - SC Olhanense está marcada para as 16h00 de domingo, no Estádio da Mata Real, com arbitragem de Hugo Miguel (Lisboa).

[Juniores] Paços de Ferreira 2 - 2 SC Freamunde


Quatro golos na sequência de lances de bola parada ditaram a igualdade a dois golos entre FC Paços de Ferreira e SC Freamunde, na última jornada da 1ª volta do Campeonato Nacional de Juniores A.
Saiu o Paços na frente (8') com um golo do defesa Rui Filipe, mas o Freamunde empatou (26') na sequência de um pontapé de canto.
Na segunda parte repetiu-se a história, com Rui Filipe a adiantar de novo o Paços de Ferreira (55') mas em novo pontapé de canto Luís Leal (79') estabeleceria a igualdade. Os Castores ainda poderiam ter chegado à vitória já nos minutos finais, mas ao remate de Osório correspondeu o g.r. do Freamunde com a defesa da tarde.

FC Paços de Ferreira, 2 - SC Freamunde, 2
Árbitro: João Pereira (Porto)
Disciplina: Cartão Amarelo: (34') Paulo Machado, (58') Fred, (75') Sobrado, (80') Rui Filipe e (90') Zé Miranda.
FC PAÇOS DE FERREIRA: Freitas; Fred, Neto, Rui Filipe e Pitufo (Zé Miranda, 32'); Sousa, Ivo Lemos (Osório, 72') e Xeka; Valente, Miguel e Wilson (Sobrado, 45').
SC FREAMUNDE: Dani; Bruno Teixeira, Monteiro, Paulo Machado (Renato, 65') e Chiclas; Postiga, Serginho e Miguel II (Tiago, 68'); Rui Miguel (Luís Leal, 57'), Miguel I e Wendel.
Ao intervalo: 1-1
Resultado Final: 2-2

Marcadores: 1-0 Rui Filipe (8'); 1-1 Miguel II (26'); 2-1 Rui Filipe (55'); 2-2 Luís Leal (79').



(in fcpf.pt)

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

É uma das noticias, que mais me entristece por estes dias, o fim ainda que não permanente do Castores 1950, foram 8 anos, 8 anos em que todos nós pacenses soubemos das mais variadas novidades através do Castores 1950, será para sempre um blog imortal, que perdurá como uma das maiores perdas que todos nós pacenses já enfrentarmos, o Geração Pacense voltou a estar activo, mas recordo que nada tem relacionado com o fim do Castores 1950, até porque todos sabemos que o Castores 1950 é insubstituível, desta forma e numa singela homenagem escrevo este post.

OBRIGADO POR TUDO!
Castores 1950 ontem, hoje e sempre!
Voltem rápido!

[Breves] FC Paços de Ferreira vs Olhanense


Hugo Miguel foi o árbitro nomeado pelo Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol para dirigir o FC Paços de Ferreira-Olhanense da oitava jornada da Liga, encontro que se disputara pelas 16 horas de Domingo na Mata Real, onde o Paços não poderá contar com o contributo de Javier Cohene que foi expulso no encontro a meio da semana a contar para a Taça da Liga (vitória por 1-0 frente ao Desportivo das Aves) também Jaime Poulson ficou pelo departamento médico, pois o estiramento no joelho esquerdo também sofrido nessa partida terá uma recuperação mais demorada. Em tratamento continua Diogo Figueiras, que está a meio da fase de recuperação da lesão muscular contraída há duas semanas. A equipa treinou esta manhã, e voltara a subir ao relvado as 10 Horas, com Paulo Fonseca a fazer o lançamento da partida pelas 12 Horas, em Conferência de Impresa.

Bilhetes FC Paços de Ferreira - SC Olhanense


Estão já à venda os bilhetes para o jogo da 8ª Jornada da I Liga: FC Paços de Ferreira - SC Olhanense (domingo 16h, na Mata Real).
Os Sócios pacenses têm entrada com a Cota 10 e o habitual bilhete suplementar de 3 €uros.
Os preços para o Público são os seguintes:

Bancada Central: 15 €
Bancada Lateral: 12,5 €
Topo Norte: 10 €

Os ingressos podem ser adquiridos durante o horário normal de funcionamento da Secretaria do Clube: das 9h às 12h e das 14h às 19h (segunda a sexta-feira) e das 9h30 ao meio-dia (sábado).


(in fcpf.pt)

FC Paços de Ferreira 1 - 0 Aves [Taça da Liga]

Será que existe necessidade de um jogo entre equipas de divisões profissionais ter de se disputar as 16:00H duma quarta feira, quando se poderia marcar o mesmo encontro para a noite por exemplo?


O Paços entrou em campo, com oito alterações no onze relativamente ao jogo em Aveiro, (vitória por 2-0, frente ao Beira-Mar), jogando preferencialmente com a bola pelo chão, como é já a tradição da equipa, o Paços consegui dominar o encontro por completo na primeira parte.


A única oportunidade do Aves em todo o encontro apareceu na sequência de um livre , aos 13 minutos, mas António Filipe defendeu para canto o corte defeituoso de um colega da defesa. 

O Paços acabaria por colocar a justiça no marcador apenas quatro minutos depois, em mais um lance individual de Hurtado, em que realiza um passe que coloca Josué isolado, «este na cara do golo» aproveitou para inaugurar o marcador. Mais uma vez Josué, que foi melhor jogador em campo, podia ter ampliado aos 41 minutos, mas Rui Faria negou-lhe o golo, como já antes tinha feito a Cohene numa enorme defesa do guarda redes do Aves.


A segunda parte fica marcada pela expulsão injusta de Cohene, por acumulação de amarelos no espaço de um minuto, repare-se que no segundo cartão amarelo, o defesa paraguaio, encolheu completamente a mão, mas a bola bateu no seu braço, o arbitro assistente que conseguiu fazer uma das piores arbitragens de que me lembro, transmitiu a indicação de que Cohene, teria jogado a bola com a mão propositadamente quando o mesmo, tentou retirar a mão, depois da injusta expulsão, um facto que obrigou o Paços de Ferreira a recuar, o Aves tentou chegar a igualdade mas sempre sem sucesso.


O jogo terminou com queixas, muitas queixas a arbitragem na segunda parte onde se viu uma verdadeira distribuição de amarelos, por vezes sem muito sentido, fica no entanto o registo de mais uma vitoria, e da passagem a próxima fase da Taça da Liga.


domingo, 29 de abril de 2012

Beira Mar vs Paços de Ferreira

Numa partida com três expulsões de jogadores e de um treinador (Henrique Calisto) (Zhang e Petrolina no Beira-Mar e Vítor no Paços de Ferreira), Artur, de grande penalidade, aos 11 minutos, fez o primeiro dos aveirenses, com Javier Balboa, aos 60', a fixar o resultado em 2x0. Com este triunfo, o Beira-Mar soma 29 pontos e praticamente garantiu a manutenção, assim como o Paços de Ferreira, que também tem 29 pontos. O Paços continua a ser vitima de árbitros duvidosos!!

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Regresso ao Activo

Após vários meses de ausência eis que a Geração Pacense voltou a ficar actualizada, nós últimos tempos não me foi possível actualizar este espaço, por vários motivos mas já encontrei solução e volto a actualizar diariamente este espaço dedicado ao Futebol Pacense...

Cumprimentos a todos: Diogo Nunes

FCPC vs SCM (15ª Jornada)


O treinador Henrique Calisto disse esta quinta-feira que o Paços de Ferreira está a evoluir para voltar a "jogar à Paços" e prometeu "encarar positivamente" o encontro com o Marítimo, na sexta-feira às 20 e 15, em partida da 15.ª jornada da Liga ZON Sagres.

"Há, de facto, uma evolução e isso representa mais-valias para a equipa em termos de crença", disse Henrique Calisto, sublinhando que a equipa está "a jogar bem, existe um bom ambiente e os jogadores estão confiantes", apesar de faltarem vitórias.

O técnico pacense confessou estar "muito contente com a equipa" e elogiou o comportamento dos jogadores nos jogos com o FC Porto, para a Taça da Liga, e o Rio Ave, que o deixaram com razões de queixa da arbitragem.

Calisto disse ter "a certeza absoluta" de que a primeira grande penalidade a favor dos vila-condenses, de que resultaria o único golo do encontro, não existe, e que o primeiro dos dois amarelos mostrados a Tony é exibido "na base do grito", num lance que rotulou de "inacreditável".

Essa expulsão retira o reforço Tony do jogo com o Marítimo, "a surpresa deste campeonato", existindo ainda a possibilidade de Melgarejo poder não jogar, devido a um problema físico.

A estes dois revezes, o técnico da formação nortenha promete responder "positivamente", e, frente a "um adversário forte", como o Marítimo, na sexta-feira, disse ser necessário "respeitar muito" o adversário, "estudar bem os seus pontos fortes" e, sobretudo, "voltar a jogar à Paços".

"O Marítimo é uma equipa motivada, mas temos de jogar à nossa maneira, impor o nosso futebol e voltar à matriz antiga na Mata Real, que é jogar à Paços", defendeu.

Na conferência de antevisão ao jogo com a formação insular, que assinala a estreia do reforço Ricardo nos convocados e o regresso de Filipe Anunciação, após castigo, Calisto falou também dos reforços para o meio-campo e ataque que espera receber.

Referiu, a este propósito, que "até ao próximo jogo com o Vitória de Setúbal poderá haver novidades" e que "dois [jogadores], pelos menos, seria o ideal".

O Paços de Ferreira, último classificado, com oito pontos, recebe o Marítimo, quinto, com 25, pelas 20:15 de sexta-feira, no jogo de abertura da 15.ª e última jornada da primeira volta da Liga portuguesa de futebol.

Lista de Convocados:

Guarda-redes: Cássio e António Filipe;

Defesas: Javier Cohene, Fábio Faria, Diogo Figueiras, Luisinho, Ozeia e Ricardo;

Médios: Filipe Anunciação, Vítor, Luiz Carlos, André Leão, Josué e Backar;

Avançados: Manuel José, Caetano, Michel, Melgarejo e William.

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Caso Bwin corta orçamento ao Paços


Foi com alguma apreensão que Carlos Barbosa, presidente do Paços de Ferreira, reagiu à deliberação do Tribunal do Porto, que considerou ilegal o patrocínio da empresa de apostas Bwin ao futebol português.

«Ainda não existe uma decisão definitiva, pois a Liga vai recorrer novamente, mas a confirmar-se esse cenário será muito mau para os clubes portugueses. A Taça da Liga já vai a meio e não pode perder o patrocinador. Se os clubes portugueses já estão mal a nível financeiro, isto em nada ajuda. Antes pelo contrário, faz com que as coisas piorem. Espero que haja o bom-senso e que a Bwin continue a ajudar o futebol nacional».

Melgarejo Lesionado

O avançado Melgarejo, totalista na derrota com o Rio Ave, falhou o treino desta segunda-feira do plantel do Paços de Ferreira, devido a uma lesão muscular que será reavaliada nas próximas 48 horas.

André Leão, a contas com uma entorse, também não integrou a sessão, durante a qual Nuno Santos realizou trabalho condicionado.

Os jogadores que estiveram mais tempo em campo em Vila do Conde cumpriram treino de recuperação.

Henrique Calisto volta a reunir o plantel esta terça-feira, dando continuidade à preparação do jogo com o Marítimo, que se disputa sexta-feira, na Mata Real.